Séries de TV: O “Mockumentary”

É documentário ou ficção?

EXT. / DIA – PRACINHA

Passeando num gramado extenso com sua cachorra, LUIZ FERNANDO está pensando no seu próximo texto para o Mundo Gonzo. A câmera registra, acidentalmente, o momento no qual ele escorrega numa casca de banana e bate com a cabeça no chão. Ele levanta lentamente, inspirado. Luiz parece ter uma idéia.


E aí, meu povo! Depois de um longo e tenebroso inverno, estou de volta no Mundo Gonzo!

O papo de séries de hoje é sobre comédia, pra dar uma balanceada com as séries tensas de espionagem política das quais falei no meu primeiro post. Fiz a mesma “fórmula” da outra vez e juntei aqui três dicas com um sub-gênero em comum: o “Mockumentary“.

“É o QUÊ, Tio Luiz? Não xinga não!!”

Peraí, calma. mockumentary é uma junção em inglês das palavras documentary – documentário, né – e mock – imitação, ou “zoeira”.

Ou seja, um mockumentary é um falso documentário, uma história roteirizada apresentada como um relato verdadeiro. As câmeras são propositalmente tremidas, quase sempre há um narrador e os personagens volta e meia expressam suas opiniões em entrevistas para a câmera.

Esse mecanismo de narrativa já foi usado diversas vezes na história do cinema em filmes como Zelig (Woody Allen, 1983), Isto é Spinal Tap (Rob Reiner, 1984) ou, num caso mais recente, os primeiros 25 minutos de Distrito 9 (Neil Bloomkamp, 2009). Não conhece nenhum dos exemplos que eu dei? Vai lá catar e assiste, só tou dando dica boa aqui. De nada. 😉

Pois então, eu traduzi mock como “zoeira” também porque uma das grandes graças do gênero é ser um prato cheio para comédia. Tá pronto pras dicas de série? Se bobear, você já conhece e curte todas, mas nem sabia que eram mockumentaries. Vamos lá.


THE OFFICE (2001 – versão UK e 2005 – versão US)

Essa daqui de certa forma inaugurou o gênero pro grande público de TV. Digo “de certa forma” porque outras séries já haviam usado o estilo de alguma forma, mas este é o primeiro exemplo bem-sucedido em escala mundial.

the-office-us

Pra quem não conhece, a série acompanha o dia-a-dia dos funcionários de uma empresa. Na versão original britânica, a filial da Wernham Hogg é chefiada por David Brent, personagem do incrível comediante Ricky Gervais. A série fez um sucesso danado fora do Reino Unido e foi adaptada quatro anos depois nos Estados Unidos, onde a empresa se tornou Dunder Mifflin sob o comando de Michael Scott, papel no qual o Steve Carell arrebentou. O formato “documental” deu espaço a mecanismos incríveis como as populares olhadas pra câmera, que viraram marca registrada da série.

Elenco inglês vs. Elenco americano!

A versão americana durou nove temporadas e fez um sucesso danado. Baseada em muito improviso, The Office redefiniu o conceito de sitcom nos Estados Unidos. Tanto é que logo depois deu origem a muitas outras séries, dentre elas uma das minha favoritas de todos os tempos, logo aí embaixo.


ARRESTED DEVELOPMENT (2003)

Só tem psicopata nessa família.

Você gosta de série de comédia? Nunca viu essa aqui? Pare tudo o que você está fazendo e dê o play aí no seu Netflix. Ela é boa assim.

A história gira em torno dos Bluth, uma família completamente disfuncional que descobre ter perdido toda a sua fortuna quando seu patriarca, George Bluth, é preso. O personagem principal, Michael Bluth (Jason Bateman), é o filho do meio e o único “ser normal” dessa família. Seus irmãos Gob, Buster e Lindsay são absurdamente descompensados; sua mãe, Lucille, é manipuladora e materialista; e por fim, seu filho George Michael (Michael Cera em seu primeiro papel de destaque) começa a se apaixonar perdidamente por sua prima, Maeby.

Os mecanismos de mockumentary aqui são essenciais porém sutis, com a câmera tremida e a narração como fio condutor. O humor nonsense e ácido, cheio de “piadas internas” entre um episódio e outro, é muito bem elaborado e transformou a série em um clássico instantâneo que continua servindo de referência até hoje.

Arrested Development foi um sucesso de crítica, mas não de público. Suas baixas audiências levaram a série a ser cancelada pela FOX em 2005, pra desespero dos poucos – porém fiéis – fãs. Por alguns anos houveram rumores de uma continuação ou até um filme.

A família Bluth em sua versão Netflix

Em 2013, a Netflix finalmente obteve os direitos de fazer uma quarta temporada da série, oito anos depois do final da terceira. A nova investida dividiu opiniões entre os fãs. Eu gostei, mas admito que não tem a mesma pegada das outras três. Desde então, uma quinta temporada vem sendo produzida, ainda sem data de estreia. Mesmo sem ainda sabermos o destino final da família Bluth, Arrested Development continua sendo obrigatória pra quem gosta de uma boa comédia.


MODERN FAMILY (2009)

Pulando de uma família maluca pra outra, Modern Family é o atual carro-chefe das séries mockumentary e, por um longo tempo, dominou o cenário de sitcoms, vencendo o Emmy de Melhor Série de Comédia por cinco anos seguidos, de 2010 a 2014.

the-best-modern-family-03

Aqui, acompanhamos a história de Jay Pritchett (Ed O’Neill, o Al Bundy de Married With Children) e sua família, que inclui sua segunda esposa, seu enteado, seus dois filhos adultos e suas respectivas famílias. Claire, sua filha mais velha, é casada com Phil, que de normal não tem nada; Mitchell, seu filho, é gay e adotou uma menina com seu marido Cameron.

O tema familiar é o centro da série, com três núcleos que, apesar de serem originados de formas diferentes (adoção, segundo casamento e tradicional), são muito parecidos em diversos aspectos. O humor é fortemente baseado nos personagens e o mockumentary serve muito bem nos momentos em que eles dão entrevistas diretamente para a câmera, entrecortando as cenas.

A série conta também com um excelente elenco infantil que foi crescendo ao longo dos anos. Vou te contar, não sei o que colocam na comida dessas crianças, mas elas são hilárias. O destaque vai para a filha de Mitchell e Cameron – a pequena Lily, interpretada por Aubrey Anderson-Emmons, que tinha apenas dois anos quando a série começou e hoje, com nove, é fonte de algumas das piadas mais engraçadas da série.

Modern Family continua no ar firme e forte, sem previsão para acabar. Aproveita e vai se atualizando!

Modern Family
“Essa família é muito unidaaaa…”

BONUS ROUND!!

Gostou do formato? Existem outras séries dentro dessa proposta que também são excelentes: Parks and Recreation e Reno 911! são os dois exemplos mais famosos e valem dar uma checada.

Bom, aí estão! É claro que o mockumentary não para por aí e tem diversas variações. Eu sou fã do formato e sempre procuro assistir o que aparece. E aí, tem alguma indicação pra me dar? Escreve nos comentários!

Até a próxima!

The following two tabs change content below.

Luiz Fernando Reis

Carioca, 32 anos, Nerd, Diretor e Editor de Vídeo, ser humano em geral. Precisando de qualquer coisa estamos às ordens!