Mundo Gonzo #84: Terceira semana de #365HQs

O desafio continua

Mais uma semana de #365HQs no Instagram do Mundo Gonzo. Boas histórias, alguns pontos comentados, mas no fim… boas leituras. Espero que você curta bastante e volte sempre aqui no site, no Instagram e no Facebook. Tá na hora do resumo da semana!

Bem-vindo ao meu mundo.

“Wah-wah
You’ve given me a wah-wah
And I’m thinking of you
And all the things that we used to do
Wah-wah, wah-wah”


#14/365 DIAS

SALTO PARA O DESCONHECIDO ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Viver sem saber a verdade. Essa poderia ser a máxima sobre a população de Intos, da Graphic SALTO, de @raphacpinheiro . O projeto foi financiado pelo Catarse e publicado pela @aveceditora . O título teve o lançamento na CCXP e é a minha 14ª de #365HQs. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Mas antes de falar da revista, é legal dizer que o Rapha foi um dos primeiros alunos da turma internacional de quadrinhos da École Européenne Supérieure de l’Image, em Angoulême, na França. Foi durante sua passagem pela França que ele começou o projeto de SALTO. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A história é sobre um povo de seres de fogo. Eles viviam na superfície do planeta, mas uma grande chuva assolou o local. Daí, sabe como é. Água e fogo não se misturam. Eles foram obrigados a migrar para cavernas nas profundezas do planeta, e é lá que eles vivem por milênios. Numa cidade, ao melhor estilo steampunk, somos apresentados ao Nü, nosso herói. Ele é um jovem garoto que adora escalar as construções da cidade de Intos. Talentoso, ele é quase um atleta de Parkour. Só tem um problema: ele é azul. Todos os outros moradores da cidade são vermelhos, amarelos, laranjas… da cor de fogo. Menos ele. Por isso, ele se torna alvo de piadas, insinuações maldosas e de várias manifestações de preconceito. Se isso não fosse o bastante, Nü também se envolve na polêmica que envolve a qualidade do ar que os cidadãos de Intus respiram. Será que o jovem Nü vai conseguir vencer a discriminação e desmascarar o governo? Essa pergunta você só vai saber lendo SALTO. A graphic tem uma boa narrativa e arte. Mas, infelizmente, peca em uma coisa importante: a revisão. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A HQ não é só desenho. Afinal, quando o quadrinho tem texto, a escrita se torna um elemento da narrativa. Em publicações deste nível, a revisão precisa estar no ponto. Os leitores merecem. Enfim, a arte e a história perdem um pouco do brilho perante esses problemas. Espero que a revisão seja acertada em uma nova tiragem, pois o material é bacana. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
SALTO ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
• Capa comum: 96 páginas
• Editora: AVEC Editora
• Preço: R$ 49,90 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
#Salto #Catarse #MundoGonzo #gibi #quadrinhosgram #instahq #quadrinhos #comics #resenha #review

Uma publicação compartilhada por Mundo Gonzo (@mundogonzo) em


#15/365 DIAS

RÁPIDO E CERTEIRO ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Mark Millar pode não ser o melhor roteirista do mundo, mas o danado sabe prender a nossa atenção. Ele fez isso comigo em MPH, publicada aqui pela @editorapanini . Ela acabou sendo a minha 15ª revista de #365HQs. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

MPH tem desenhos de Duncan Fegredo e cores de Peter Doherty. A mini em 5 partes foi publicada nos Estados Unidos em 2014, como comemoração aos 10 anos do MillarWorld, selo que o Mark Millar criou para suas revistas autorais. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Aqui, a mini saiu completa em capa dura. O legal da história é ver como Millar começa. Um belo de um flashback, para mostrar a prisão do primeiro super-humano que apareceu na Terra. Trinta anos depois, vamos conhecer Roscoe, um zé coitado que queria largar a vida de crimes. Ele trabalha como entregador de drogas, porém um dia as coisas acabam dando errado. Ele é delatado e vai parar na prisão. Roscoe está determinado a mudar de vida, cumprir sua pena de 5 anos e seguir de forma diferente. Até que ele descobre que foi traído por um amigo. É aí que que entra em cena a MPH. Uma droga que era só para uma pequena viagem, no entanto acaba fazendo Roscoe adquirir supervelocidade.

Depois de tomar a pílula, Roscoe decidi fugir da prisão. Ele tem planos de se vingar de quem o delatou e roubar bancos com a namorada e mais dois amigos, pra quem ele passa os comprimidos de MPH. O objetivo dele é se tornar milionário. Mas ele precisa ser ágil. Afinal, ele só tem um frasco da droga. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Claro que nem tudo vai ser um mar de rosas para Roscoe e seus amigos. Com tantos velocistas em ação, era óbvio que o governo americano sairia à caça deles. E qual a melhor forma de fazer isso? Usando uma arma secreta muito especial contra esses superseres. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Mark Millar sabe fazer dinheiro e sabe escrever uma HQ com cara de filme. Esse cara é ou não é danado? ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

MPH ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
• Capa dura: 136 páginas
• Editora: Panini
• Preço: R$ 56,00 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Por @casspinheiro ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
#MundoGonzo #gibi #quadrinhosgram#instahq #quadrinhos #comics #resenha#review #critica #hq #PaniniComics #MPH #MarkMillar

Uma publicação compartilhada por Mundo Gonzo (@mundogonzo) em


#16/365 DIAS

WESTERN FEIJOADA DA BOA ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

“Não se trata de dinheiro, velhote… isso é justiça”. Essa é uma daquelas falas legais de toda HQ de western italiano que você conhece. Mas a 16ª dica do desafio #365HQs é nacional. GATILHO, de Carlos Estefan (roteiro) e Pedro Mauro (desenhos) é uma publicação independente que foi lançada na CCXP e simplesmente esgotou. Isso mesmo, se você fosse na mesa dos dois no sábado ou domingo, ia descobrir que a revista tinha esgotado na sexta. Um fenômeno! ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Mas o que fez um gibi de faroeste vender tanto? Eu te respondo: uma boa história. Gatilho passa longe de diálogos ruins, típicos de filmes de western. Essa aqui está mais para um filme dirigido por Sergio Leone (grande diretor de western). Mais uma revista que sabe usar o flashback como base de toda história. Não vou falar muito para não estragar sua leitura. O ás na manga é não entregar logo o jogo, fazendo mistério e sinalizando pistas que vão intercalar com flashbacks. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Algo que você vai sacar nesta obra é que não existe “mocinho” e “bandido”. Essa quebra com o maniqueísmo clássico do gênero faz muito bem à história. E terminar com uma grande uma reviravolta que me fez soltar um “WHAT!?”. Ponto demais para o roteiro de Carlos Estefan. Que trabalho! Me pegou em cheio. Carlos Estefan é roteirista da Mauricio de Sousa Produções. Este é seu segundo trabalho autoral. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Não posso esquecer de falar da arte de Pedro Mauro. Ele dá um show. Pedro trabalha para a Bonelli e também faz parceria com do roteirista Gianfranco Manfredi, criador de Mágico Vento. (Já falei o quanto eu gosto de Mágico Vento?). Ele com usa ângulos que me deixaram maluco. Um traço lindo, que não fica atrás de nenhum desenhista italiano de Tex a Mágico Vento. É simplesmente um desbunde. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

GATILHO é aquele Western spaghetti com gosto de uma boa feijoada brasileira. Nota 10. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Se você quiser comprar a edição, se informe por e-mail: gatilhohq@gmail.com ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

GATILHO ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
• Capa cartonada: 64 páginas
• Editora: Independente – Edição especial
• Preço: R$ 35,00 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Por @casspinheiro ⠀⠀⠀

#MundoGonzo #gibi #quadrinhosgram #instahq #quadrinhos #comics #resenha #Gatilho

Uma publicação compartilhada por Mundo Gonzo (@mundogonzo) em


#17/365 DIAS

WITH A LITTLE HELP FROM MY FRIENDS ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A música do Beatles casa perfeitamente para o 17º título do desafio #365HQs. FUTURE QUEST VOLUME 2, de Jeff Parker (roteiro) e Evan Shaner (desenhos), publicada pela @editorapanini , é isso: uma grande aventura que conta com a pequena ajuda dos amigos. É já que os Beatles e os personagens da Hanna-Barbera são contemporâneos, nada melhor que usar uma das músicas deles como título do texto. Falando em ajuda dos amigos, Evan “Doc” Shaner está mais uma vez acompanhando de outros artistas. Ariel Olivetti, Ron Randall e Steve Lieber também ajudam a abrilhantar a edição. ⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Neste segundo volume, nosso heróis tentam descobrir uma forma de destruir Omnikron. O ser destruidor de planetas chegou à Terra. Parker começa a fechar pontas que ficaram soltas no primeiro volume. E finalmente faz o que a gente mais esperava: ver Space Ghost, Jonny Quest, Homem-Pássaro, Os Impossíveis e outros heróis do panteão da Hanna-Barbera agindo juntos. ⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Uma aventura tão dinâmica e acelerada, que a impressão é que estamos assistindo um episódio na TV. É bacana ver a forma como Jeff Parker consegue dar vida aos personagem, deixando todos com suas personalidades e aprimorando alguns que poderiam não ser tão bem desenvolvidos na TV. Destaque para o jovem Mightor. Adorei a forma como ele foi usado na história. Um trabalho hercúleo do roteirista, que mais uma vez mostra que sabe trabalhar com muitos personagens ao mesmo tempo. ⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A arte da revista é um caso à parte. Evan “Doc” Shaner fez um trabalho muito bom. Você simplesmente compra todos os personagens da Hanna-Barbera desenhados por ele. Destaque também para a história desenhada pelo argentino Ariel Olivetti, um verdadeiro primor. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O único pecado da história é o final. Como assim acabou? Eu quero ler mais aventuras como essa! ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Eu tenho certeza que depois que você ler FUTURE QUEST VOLUME 2, vai sair por aí cantando: ” Oh, I get high with a little help from my friends”… ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

FUTURE QUEST VOLUME 2 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
• Capa comum: 160 páginas
• Editora: Panini
• Preço: R$ 23,90

Por @casspinheiro

#MundoGonzo #gibi #quadrinhosgram #instahq #quadrinhos

Uma publicação compartilhada por Mundo Gonzo (@mundogonzo) em


#18/365 DIAS

ABRIR OS TRABALHOS ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A velha frase de quem está no bar esperando os amigos: “vou começar a abrir os trabalhos”. É dessa forma que você vai se sentir ao começar a ler OPEN BAR EDIÇÃO DEFINITIVA, do @hellatoons , publicada pela @editorapanini , em parceria com @stoutclub e que teve lançamento na CCXP. Essa revista é minha 18ª de #365HQs. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Conheço a obra desde da primeira edição, que foi publicada independente pela Stout Club, em 2015. Foi amor a primeira vista. Fiquei esperando a continuação. Demorou, mas finalmente saiu. E saiu logo tudo junto, nesta edição da Panini. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A HQ conta a história de Barba e Leo. Dois amigos desde crianças. Os dois dividem um apartamento e vivem duros. Mas um dia, o pai do Barba morre. E deixa para filho de herança um bar. Barba teve um relação complicada com o pai. Receber o bar é uma surpresa. Já Leo…também tem seus problemas. Os dois decidem assumir o bar, mas descobrem que existem duas condições:
1) o bar teria que funcionar por 3 anos.
2) apenas o Leo poderia ser sócio do bar. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Rapaz, é aí que o Eduardo Medeiros começa a brilhar. Uma história que poderia muito bem ser real. Desde da criação da cerveja artesanal do Caverna Bar, passando por um grupo de nerds, até um relacionamento tórrido com uma senhora de 60 anos (não me pergunte, apenas leia). ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

OPEN BAR é sobre amizade, vida, sonhos, amor… é sobre uma conversa de fim do dia com seu melhor amigo. OPEN BAR mostra como uma a vida segue ciclos e que eles vão nos dando amadurecimento. Eduardo começa a história com ar pueril, mas vira por completo a trama, nos apresenta um final surpreendente. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A arte tem uma pegada cartoonizada, que combina demais com história. Uma paleta de cores que usa apenas rosa, branco, preto e azul. E com apenas essas cores, a revista tem muita vida. Pequenos problemas na revisão, mas nada que tire o brilho da obra. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

OPEN BAR-EDIÇÃO DEFINITIVA é aquele Happy Hour de toda sexta-feira. Belo trabalho do Eduardo. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

OPEN BAR-EDIÇÃO DEFINITIVA ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
• Capa comum: 272 páginas
• Editora: Panini
• Preço: R$ 57,90

Por @casspinheiro

#MundoGonzo #quadrinhos #stoutclub #openbar #HQnacional

Uma publicação compartilhada por Mundo Gonzo (@mundogonzo) em


#19/365 DIAS

DE PERDER A CABEÇA ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Eu adoro quadrinhos de horror e terror. Por isso escolhi ler FRAGMENTOS DO HORROR, de Junji Ito, publicado aqui no Brasil pela @darksidebooks , como a minha 19ª de #365HQs. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Vamos começar pelo fim. No posfácio da edição, Ito comenta que ficou oito anos afastado dos mangás de horror e achava que teria perdido a mão para o gênero. A ponto de refazer totalmente a primeira história do livro algumas vezes. FRAGMENTOS DO HORROR é uma coletânea de oitos contos, daquele que é considerado um mestre do horror japonês. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

A primeira história sobre o garoto que vive enfurnado dentro do futon, pode até ser considerada fraca, mas está muito longe de ser ruim. Os 7 contos seguintes me fizeram ficar grudado na leitura. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Uma mulher se aproxima dos donos de um imóvel, apenas para ter… como posso dizer??? Um relacionamento sexual com a casa. Não me pergunte mais nada. Você precisa ler isso. Ito é um homem que precisa ser estudado. Na segunda história, um jovem se apaixona por uma feiticeira que adora cortar cabeças. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

No quarto conto, Junji Ito mostra uma história de fantasmas completamente diferente de tudo que já se viu. Depois, a loucura e o horror voltam a dar as caras em um conto sobre uma jovem que deseja ser dissecada. São ideias loucas, com pitadas de gore. A mesma pegada para a história do Pássaro Negro, a minha preferida da edição. Um garoto ficou perdido na mata, com as pernas quebradas depois de cair de um penhasco por 30 dias. Aos poucos, vamos descobrir que ele era alimentado por uma estranha mulher de preto. Aqui, Ito consegue misturar terror, com viagem no tempo. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O penúltimo conto é sobre o desejo de uma fã. Ela queria conhecer sua escritora favorita e acaba descobrindo, da pior forma, que tomou uma decisão errada. Ito, fecha com um conto sobre um relacionamento simbiótico. É uma das histórias mais perturbadoras do livro. Nota para capa da revista: um belo trabalho que a #Darksidebooks fez. Usando um efeito de verniz lindo. Espero que você também curta essa HQ e não perca a cabeça pelo caminho. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

FRAGMENTOS DO HORROR ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
• Capa dura: 224 páginas
• Editora: DarkSide

Uma publicação compartilhada por Mundo Gonzo (@mundogonzo) em

#20/365 DIAS

A ESCOLHA DE SEGUIR EM FRENTE ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Hoje decidi ler uma aventura de super-heróis, que não verdade não é exatamente como você possa imaginar. NOITE DAS TREVAS: UMA HISTÓRIA REAL DO BATMAN, de Paul Dini (roteiro) e Eduardo Risso (arte), publicada no Brasil pela @editorapanini, é minha 20ª de #365HQs. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Essa HQ do selo Vertigo, que tem Batman e Coringa na capa, na verdade conta a história de Paul Dini. Uma autobiografia que explora um momento complicado na vida do autor: um assalto, seguido por agressão, que ele sofreu quando trabalhava na série animada do Batman. Dini aproveita para passar a limpo a vida dele até aquele momento. Uma reflexão fria, cruel e corajosa. A forma como um menino tímido de Nova Iorque vira um homem nerd, solitário que não consegue apaziguar a alma. A procurar por uma companheira, acaba esbarrando em pensamentos e devaneios. Um homem que encontra nos personagens que ajuda a escrever, as companhias que tanto procura e isso não é bom. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

1993 foi o ano que Batman: The Animated Series ganhou um filme (Batman: A Máscara do Fantasma), um ano depois do lançamento da série. Paul era um dos responsáveis pelos roteiros e, claro, peça fundamental para o filme. Depois do assalto e espancamento, Dini começa a repensar em tudo que passou e o que deve fazer no futuro. É neste momento que Batman e todos seus vilões aparecem para um suporte pra lá de Freudiano. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Eduardo Risso ficou encarregado com a arte. O homem fez tudo, do lápis às cores. Um trabalho competente e belo do argentino. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Uma dupla perfeita para uma Graphic Novel que mostra um homem cheio de imaginação, que vivia em uma eterna busca pelo conhecimento próprio e acabou encontrando em uma desgraça a forma de seguir em frente. Uma HQ forte, reveladora e envolvente. Nota 10. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Ps.: Nesta graphic existe um pequeno conto do Sandman com Batman. Um dos melhores crossovers que já li. E são apenas 3 páginas. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

NOITE DE TREVAS. UMA HISTÓRIA REAL DO BATMAN ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
• Capa dura: 128 páginas
• Editora: Panini
• Preço: 72,00 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Por @casspinheiro

#MundoGonzo #quadrinhos #dccomics #batman #Panini #PaniniComics #critica #review #resenha #hq #comics

Uma publicação compartilhada por Mundo Gonzo (@mundogonzo) em

The following two tabs change content below.

Cassiano Pinheiro

Criador do Mundo Gonzo, Jornalista, apaixonado pelo mundo das HQ's e outras nerdices. Jogando na mega-sena para ficar rico e custear meus gastos em HQs. Desenhista, beatlemaníaco e louco por uma boa cerveja.