Enquanto o Inverno não vem…

O mundo sem igual criado por George R R Martin em suas Crônicas de Gelo e Fogo.

Existe uma saga de livros chamada Crônicas de Gelo e Fogo. Não sei se vocês conhecem. Foi escrita por um raparigo fofinho e barbudo chamado George R R Martin. Através dele, pessoas como eu tiveram a chance de adentrar o mundo de Westeros e Essos e que, francamente, moldaram a cabeça fantasiosa desse que vos escreve.

O mapa do Mundo Conhecido: Westeros, Essos, Sothoryos e Uthos.
O mapa do Mundo Conhecido: Westeros, Essos, Sothoryos e Uthos.

George tem um blog. É bem legal. Deem uma olhada.

Comecei a ler a Saga na virada do século. Fui apresentado por amigos à um mundo tão rico de detalhes, intrigas, política e uma forma de fantasia realista interessante demais.  Sua estrutura narrativa, separando capítulos pelo nome do seu principal protagonista, coloca o ponto de vista sob a perspectiva única de alguém que está, naquele momento, experimentando os eventos do mundo. Apresenta o quão cinza é a vida, cheia de opiniões e onde todo mundo só quer se garantir e sobreviver.

Essa dinâmica me fez rever o papel o ‘bem’ e do ‘mal’ na ficção. O brilhantismo do mundo dicotômico do JRR Tolkien e sua Terra Média, onde o Mal é tão bem estabelecido e o Bem também, no mundo do GRRM (George R R Martin) todos só querem garantir o seu. Perdurar frente às mudanças do mundo, buscando a guerra de tronos numa eterna luta por poder, controle e, claro, sobrevivência.

A Batalha do Tridente. Dá arrepios essa arte, vai dizer.
A Batalha do Tridente. Dá arrepios essa arte, vai dizer.

Até hoje, cinco livros dos esperados sete foram lançados. A forma de lançamento tem sido, digamos, complicada. É a melhor forma de dizer que, puta que pariu, esse gordo não sabe trabalhar com metas e prazos de entrega.

Pra vocês entenderem, o primeiro livro, ‘A Game of Thrones‘ (sacaram a referência do nome da série da HBO?), saiu em 1996. O segundo, em 1998. O terceiro, em 2000. Foi no lançamento desse terceiro, ‘A Storm of Swords’, que tive o prazer de ser introduzido à Saga. Aí a bagaça começou a azedar.

Tava tudo tão batuta, saindo de dois em dois anos, dando saudade e animação pra saber o que novo iria acontecer. O quarto saiu em 2005 e o quinto, 2011. ‘Winds of Winter‘, livro que deveria há anos ter saído pra sabermos da história antes dos episódios de Game of Thrones, ainda não saiu e ninguém sabe se de fato ele virá ano que vem. Amazon.fr nos deu a esperança de 9 de Março. Duvido, claro.

Mas não estamos aqui para falar da série… ainda. Posso vir a escrever coisas sobre ela. Me aguardem.

O que o nosso querido gordinho quer nos mostrar quando cobramos rapidez e compromisso com entrega dos seus livros.
O que o nosso querido gordinho quer nos mostrar quando cobramos rapidez e compromisso com entrega dos seus livros.

Já que estabelecemos que, oras, a série ultrapassou o material-base dos livros, agora é ver o que está na telinha, ficar revoltado, curtir e esperar ver o quão diferente serão os livros. Tomara que muito. Pra valer a pena. Enquanto o Inverno não vem, leiam logo as graphic novels.

 

Destinados a seguir de perto a história e a atmosfera do romance original, os graphic novels são, lá fora, divididos em 24 capítulos. George R. R. Martin aconselhou o romancista Daniel Abraham sobre aspectos da adaptação e a arte do Tommy Patterson. São incríveis. A versão em capa dura é de longe a melhor forma de colecionar todas as edições.

Leiam todos. Tem em no Brasil e na gringa. De qualquer jeito, achem uma forma de comprá-los.

Mas vocês querer tirar AQUELA onda de conhecedores das Crônicas de Gelo e Fogo e partirem “pruma” vida de soberba em grupos assistindo à nova temporada de GoT ano que vem? Corram atrás dos ‘Contos de Dunk e Egg‘.

São três contos, precursores das histórias da Saga, que são leitura obrigatória àqueles que, de fato, querem se inteirar nesse mundo tão imersivo e maravilhoso. Catem o livro completo, se quiserem, em todas as suas mais de quatrocentas gloriosas páginas. As versões em graphic novel, disponíveis em inglês e português, também são fantásticas.

the-world-of-ice-and-fire7

E se bater AQUELE desespero, curti demais me debruçar sobre o ‘The World of Ice and Fire‘ (que, claro, comprei na pré-venda), que é uma enciclopédia estupenda desse mundo tão vasto, tão extraordinário e de onde ainda esperamos surgir tantas histórias mais. Aguardamos o gordão ter a decência de terminar logo tudo o mais rápido possível e, óbvio, antes de morrer.

Senão eu mato ele.

The following two tabs change content below.

Bruno Freitas

Gosto de gibis ruins (dizem), me amarro em conteúdo nerd de todos os tipos e, aparentemente, estou aqui para falar de adaptações para a telona e telinha – salvo algumas boas exceções e vontades minhas de devaneios paralelos.